Transformação digital e a evolução do setor de seguros – SISTRAN

Transformação digital e a evolução do setor de seguros

O mercado segurador brasileiro passou e continua passando por diversas mudanças:

  • A abertura, em 2008, do mercado de resseguros – que antes era um monopólio da estatal Institutos de Resseguros do Brasil (IRB Brasil) -, trouxe novas competidoras ao Brasil;
  • O setor já representa em torno de 6% do PIB brasileiro;
  • Transformação digital começa a trazer efeitos ao mercado brasileiro, com o nascimento das Insurtechs e mudanças na demanda de um consumidor cada vez mais exigente e móvel;
  • 67% dos CEOs de seguradoras veem criatividade e inovação como algo muito importante para suas organizações – mais do que a média dos demais setores;
  • Líderes acreditam que, para que suas seguradoras cresçam, o foco dos investimentos está em capacidades tecnológicas e digitais como facilitadoras da jornada do cliente;
  • Nos próximos cinco a dez anos, os modelos de negócio da indústria de seguros sejam radicalmente transformados pela Internet das Coisas (IoT): ou os players vão se adequar ou perderão espaço.Fontes: Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização-CNseg, Sistran, CEO Survey (PwC), Insurers need to plug into the Internet of Things – or risk falling behind (McKinsey).

22 de março de 2018 | Atualizado dia 22 de março de 2018


ÚLTIMAS POSTAGENS

  • Artigo

O paradoxo da produtividade e da satisfação com a TI

Para sobreviver em um cenário com alta disponibilidade de tecnologia, empresas devem se tornar ágeis e ter coragem para implementar…Leia mais.

  • Artigo

O paradoxo da produtividade e da satisfação com a TI

  • Artigo

Transformação digital nos seguros: o suco de laranja e a redescoberta do risco

Saiba como oferecer experiências diferenciadas num setor onde o serviço adquirido só é utilizado em situações indesejadas (sinistro) Joel de…Leia mais.

  • Artigo

Transformação digital nos seguros: o suco de laranja e a redescoberta do risco